Capa » Aventuras » Juatinga e volta do Mamanguá
Juatinga e volta do Mamanguá

Juatinga e volta do Mamanguá

Bom galera, não foi nada fácil se programar para uma viagem de 10 dias para Juatinga e Mamanguá, mas mesmo assim fizemos um cardápio com bastante sustância pra aguentar as trilhas puxadas do dia a dia.

Mochilas prontas e pesadas (média – 23Kg), descobrimos que ia ser perrengue, mas nem em sonho nos passou pela cabeça que íamos para um lugar com a sensação térmica de 50 graus (eu que deduzi essa sensação rsrsrs).

Mas vamos lá, vou contar como foi, dia a dia…

DIA 28-29/12/2013

Pegamos o ônibus as 22h40min na rodoviária do tietê e as 5h00 chegamos em Parati- Rj e ficamos esperando pelo nosso ônibus para Paraty Mirim, que só passou as 7h30min.

Já era perto das 09h00 quando chegamos a Paraty Mirim e achamos que faríamos a trilha dali até a Praia do currupira e de lá pegaríamos um barco até a Praia do cruzeiro… só achamos, porque assim que começamos a subir com o sol no lombo e as cargueiras pesadas, pensamos melhor e decidimos pegar um barco até a Praia do Cruzeiro. Com isso não podemos dizer que fizemos a volta ao saco do Mamanguá, mas também não fizemos só a ponta da Juatinga… fizemos meia volta do Mamanguá + ponta da Juatinga rsrsrsrsrs

Juatinga

Trekker’s botando terror

Na praia do Cruzeiro só há um camping, que é do Seu Orlando e sua esposa, a praia é linda e o pessoal é bem receptivo.

Montamos acampamento e alguns curtiram a manhã na água e outros dormindo, pois sei lá pq ou como, deu alergia em mim e no Junior (ficamos com pintas vermelhas por todo o corpo) e o Polaramine (antialérgico) nos fez capotar.

Juatinga

Perto das 16h00 o povo decidiu começar a se ajeitar p/ subir o pão de açúcar do Mamanguá (aprox. 450m) e nos acordaram… estávamos grogues , mas levantamos , almoçamos e fomos… olha a merda… ALMOÇAMOS E FOMOS rsrsrsrsrs

Sol no lombo, almoço na pança e uma subida íngreme… não, isso não é bom… suamos feito porcos e durante toda a subida sentimos a comida subir e descer rsrsrrs MAAASSSS subimos!!

Valeu cada gota de suor e cada golfada que demos!!! Vista linda!!!

Depois de curtir muito a vista, descemos e fomos preparar o jantar e decidir o dia seguinte, pois a Paty estava com a garganta inflamada e talvez não fosse conseguir fazer a trilha.

DIA 30/12/2013 A 02/01/2014

A trilha desse dia seria pesada, sairíamos da Praia do Cruzeiro até pouso de Cajaíba (segundo o gps foram 11km, com muuuuita subida rsrsrs ) e a Paty decidiu não ir pela trilha e sim de barco, pois a garganta ainda estava ruim. Com isso mandamos a Paty, a Michely (p/ acompanhar a Paty) e as cargueiras (owwwww glória !!! rsrsrs) no barquinho mega zuado de um pescador que estava cobrando mais barato, mas tinha o risco de naufragar, pois o barco dele tava p/ hora da morte kkkkkkkkk.

Pra variar o sol estava de lascar, tipo 55 graus na sombra, e eu fui suando e tendo alucinações a trilha inteira rsrsrsrs.

Saímos as 11h00 do camping do Seu Orlando e chegamos as 18h00 em Cajaíba, mas paramos um pouco na cachoeira de Praia Grande e fomos parando em cada praia p/ apreciar a beleza de cada uma.

Chegando no Pouso de Cajaíba eis a surpresa!! Não tinha vaga nos campings… e para nossa sorte, um caiçara chamado Dinei, que tem uma vendinha na praia, nos alugou sua casa. Como o valor era bem em conta e o réveillon ali parecia que ia ser legal, resolvemos ficar 2 dias .

Mesmo ficando na casa do caiçara, tivemos que ficar nas barracas pq a casa tinha “bilhõooooeeees” de baratas e pernilongos.

A virada nessa praia foi bem legal, teve a queima de fogos, velas na areia, tudo muito bonito e depois de uns gorós o Dinei, o caiçara gente boa, resolveu nos dar um presente… ele nos deu a sua casa!!! Sim amigos, ele disse: “Se quiserem ficar com a casa pode ficar, eu vou morar com meu pai” kkkkkkkkk enfim, estamos bem, agora temos uma casa em Pouso de Cajaíba…

No dia seguinte precisávamos ajeitar a bagunça da casa, refazer as mochilas para partir no dia seguinte… é incrível que quanto mais espaço temos, mais bagunça fazemos rsrsrs.

DIA 02/01/2014 A 03/01/2014

No dia 02/01 partimos para Martim de Sá e lá quem reina é Seu Maneco, o dono da praia. De lá faríamos um bate e volta pra Sumaca, que é uma das praias mais lindas de Juatinga. Chegamos por volta das 10h30min no camping, montamos nossa vila e já começamos a fazer os ataques p/ partir p/ Sumaca.

De novo o sol estava lá sapecando o povo, sol de 12h00, sim meus amigos, o sol do câncer… por isso passei muuuito bloqueador, coloquei meu boné e enchi meu camelback para aguentar essa trilha que prometia… e cumpriu oO’

Em Juatinga 99% do tempo você sobe, mas a trilha da Sumaca é um sobe e desce bem cansativo, mas vale a pena todo o cansaço.

Quando vi a praia já pensei na volta, não que eu estivesse com pressa, era o contrário, queria ficar o máximo. Então, conseguimos negociar um barco no último horário para Martim de Sá a preço de banana, R$ 10,00 por pessoa e foi “com emoção”.

Voltamos a noite para Martim e no dia seguinte deveríamos partir, mas a praia era tão linda que decidimos ficar mais um dia ali. Passamos um dia curtindo a praia e fomos até uma cachoeira ali perto, demos de cara com uma cobrinha fofa verde (tentamos tirar foto, mas ela estava camuflada na árvore). Não curti muito essa mini cachoeira porque a água estava cheia de camarãozinho que ficava beliscando :/

Juatinga

… quem consegue ver a cobra???

DIA 04/01/2014

Estávamos prontos para seguir quando Seu Maneco pediu para levarmos junto um casal (que adoramos) o rapaz era italiano e a menina era de são Paulo.

A trilha até Cairuçu das Pedras foi tranquila e rápida, e ela era somente uma parte do caminho p/ Ponta Negra, mas não podíamos continuar, pq a praia era simplesmente linda! A mais linda de todas ! Definitivamente, tínhamos que parar ali…

Essa é a praia do Seu Aprígio e como ele não estava, ficamos batendo um papo com seu sobrinho e esposa, casal super gente fina, nos cedeu o fogão a lenha, sua piscina e o deck da casa.

Logo Seu Aprígio chegou da pescaria e veio falar conosco. Combinamos que pagaríamos o valor do camping, mas que preferíamos montar as barracas na praia mesmo.

Compramos lulas que ele havia acabado de pescar e botamos o fogão a lenha p funcionar. Foi um dia perfeito, sol, piscina, mar, fogão a lenha e comida da boa.

Como tudo que é bom, dura pouco, teríamos que partir no dia seguinte para ponta negra e seria “a trilha” pelo que eu havia lido nos relatos.

DIA 05/01/2014

Segundo o GPS foram 6km de trilha com a elevação máxima de 571 m, junto com cargueira e calor infernal, realmente foi puxada.

Foi nessa trilha que uma das integrantes, a Paty, jogou a toalha rsrsrs , ou melhor , jogou a cargueira, literalmente. Cansada e com sede, (não repitam isso em casa, ela não quis levar água) e com a temperatura por volta de 55 graus, deu “aloka” na Paty e ela jogou a cargueira no chão e disse “ não aguento mais, vou ficar por aqui” rsrsrsrs bom, como ela deu o piti no sol, eu fui pra sombra sentar e esperar a galera falar com ela.

Depois de um tempo de conversa a Paty ficou convencida que ela não poderia morar naquela trilha e resolveu terminar o caminho até Ponta Negra, porém sem a cargueira, graças ao Anderson (que tem um porte físico avantajado, só que não rsrsrs) que resolveu levar a cargueira dele e a dela até nosso destino. Ainda bem que o Anderson estava nessa trip, caso contrario a Paty estaria lá no meio da trilha até hj, ela e o Wilson kkkkkkkk.

Juatinga

Anderson pagando de lacaio, levando 2 cargueiras 🙂

Chegamos a Ponta negra e avistamos um boteco na praia e o dono era Seu Leley. Perguntamos por um camping pra ficar e ele nos indicou o dele, OBVIO! Ele era tipo um prefeito da praia, tinha um boteco e um camping, o que ali significava muita coisa.

Durante a negociação, Seu Leley com sua sinceridade caiçara nos disse de modo sútil que o nosso grupo estava cheirando a macaco molhado kkkkkkkkkkkkkkkk

Bom, depois dessa, fomos conhecer o camping e era bem ajeitadinho, tinha um ótimo banheiro e quando eu disse “tinha” era “tinha” mesmo e eu vou explicar o porquê agora …

Escolhemos os lugares para as barracas, montamos e cada um foi pra um lado e no fim ficamos Anderson (pendurando roupa lavada no varal), Junior (lavando roupa), Paty (no banho) e eu (pegando comida na mochila pra começar o almoço). De repente a Paty sai do banheiro, puxando a blusa para que tapasse sua calcinha e gritando “pega meu short no varal” e nisso ela se escorou em uma pilastra de sustentação das telhas do banheiro e que também estavam amarrados os varais… o resultado foi a pilastra caindo e levando junto a moldura do banheiro , as roupas lavadas caindo na terra, o Anderson com a cara da decepção falando “ levei 3 horas p/ lavar a roupa loirão” , o Junior gritando “ o telhado, Paty!!!” e eu com cara de telespectadora de reality show, pensando, o que mais vai acontecer nessa travessia kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Depois de tudo isso só nos restou relaxar nessa praia que também era muito bonita.

DIA 06/01/2014

Esse era um dia esperado, o dia da cachoeira do saco bravo, que tem uma trilha bem puxadinha também, só para variar. A cachoeira é fora do normal, linda e perigosa, pois as pedras formam uma piscina e segundo os caiçaras o mar às vezes passa por cima dessa piscina puxando quem está dentro. Sabendo disso eu entrei, mas prestando muita atenção nos movimentos do mar.

Aproveitamos um pouco a cachoeira e voltamos para Ponta Negra, pois nesse dia ainda iríamos para a Praia do Sono, nosso destino final.

A trilha até o sono até que foi menos pior, mas é lógico que teve subida, senão não seria Juatinga !!! Passamos por antigos e antiguinhos, duas praias maravilhosas. Como saímos tarde, chegamos à praia do sono anoitecendo e passamos pela praia olhando para os milhares de campings para ver quais nos agradava. Quase no fim da praia surgiu um rapaz oferecendo sua casa para alugar, mas não estávamos a fim de casa… e um senhor foi se aproximando e nos chamou para conhecer seu camping. O lugar era legal, tinha banheiros com luz elétrica (pasmem) e cozinha…aí começou a me bater a sensação de que já estávamos bem próximos da nossa realidade. Escolhemos o camping do Seu Niko e lá fizemos muitos amigos, inclusive 2 criaturinhas ligadas no 220V de 11 anos gêmeas, sim, não bastava a mãe fazer uma menina espoleta , ela precisou fazer duas!!! oO’

DIA 07/01/2014

Cansados, nesse dia não levantamos muito cedo e mesmo assim botamos na cabeça que tentaríamos achar a Pedra da Jamanta (1098m). Os 3 mais doidos, André, Junior e eu saímos pro mato sabendo que não existia uma trilha para este pico.

Subimos um morro do lado da pedra da jamanta (uns 500 metros, que apelidamos de morro do jacaré, pq naquele pedaço tudo era jacaré, poço do Jacaré, sítio do jacaré),porque segundo um caiçara era ali a entrada, mas como tínhamos pouco tempo para achar, decidimos não continuar, a esta altura já estávamos todos arranhados e queimados pelas plantas e o Junior acabou se machucando com a faca mega afiada dele. Frustrados mas ainda no pique, descemos e fomos para o poço do Jacaré, que é uma quediiiinha de água ali nas redondezas.

DIA 08/01/2014

Ultimo dia, levantamos acampamento, pegamos a trilha e seguimos para Laranjeiras (Oratório). De laranjeiras pegamos um ônibus para Parati e de lá voltamos para São Paulo, mas antes tiramos umas fotos no centro histórico e sentamos em um barzinho para relaxar e relembrar a travessia.

Juatinga

Participantes da Trip, da direita para esquerda:Michely, Paty, eu, Junior, Anderson e André

É importante lembrar: Se você decidiu fazer uma viagem de aventura, principalmente para fora do país, a recomendação é que você faça um seguro viagem com cobertura para esportes outdoor. Clique aqui para saber mais.

Dicas para Juatinga

  • Levar bateria extra para câmera pq 90% da travessia não tem eletricidade e quando se acha alguém com gerador, eles cobram.
  • Não levar mochilas muito pesadas rsrsrsrs , nós conseguimos fazer, mas foi perrengue, mas enfim, foram 10 dias, difícil não ficar pesada…

Mapa da Trip

Trilha

Nível: Difícil
Data da trilha: 28/12/13 a 08/01/2014
Total percorrido: 42,20 km

Arquivos

Tracklog no Wikiloc: Tracklog MamanguaxJuatinga
Álbum de fotos no Facebook: A Montanhista
Planilha/Comida:: MamanguaxJuatinga

Custos

Ida

  • Passagem SPx Parati R$ 50,00
  • Passagem Parati x Paraty Mirim R$ 3,00
  • Barco Paraty Mirim x Praia do Cruzeiro R$ 80,00 ( R$ 13,33 p/pessoa – 6 pessoas )

Retorno

  • Passagem Laranjeiras x Parati R$ 3,00
  • Passagem Parati x SP R$ 50,00

Campings

  • Camping Seu Orlando- Cruzeiro R$ 20,00 – (24) 9916-3532
    PF R$ 10,00
  • Camping Pouso de Cajaíba- Lorival R$ 20,00 (não ficamos- lotado) – (24) 9909-4257
    Aluguel da casa do Dinei R$ 250,00 – 2 dias/3 noites ( R$ 13,90 por dia- p/pessoa)
    PF R$ 20,00
  • Camping Martim de Sá- Seu Maneco R$ 20,00 – não tem telefone
    PF R$ 20,00
  • Camping Cairuçu – Seu Aprígio R$ 15,00 – não tem telefone
    Não tem PF
  • Camping Ponta Negra – Seu Leley R$ 15,00 – Restaurante frente p/praia – Tel (24) 3371-4119 | 9906-9018
    PF R$ 20,00
  • Camping das Pitangas – Sono- Seu Niko R$ 20,00 – (24) 99832- 0030 (24) 99920-4788
    PF R$ 20,00

Sobre Gisely Bohrer

Gisely Bohrer
Mineira de nascimento, Vila-Velhense (canela-verde) de coração, analista de importação, estudante de Turismo, blogueira e viciada em esportes. Trekking, corrida e musculação ocupam boa parte do seu tempo livre. Começou no trekking através do Clube de Desbravadores e desde então é sua paixão. Além dos esportes, ama viajar e ler um bom livro. Vive tudo intensamente para esta vida ser suficiente.

41 comentários

  1. Olá Gisely!<br />Muito legal! Pelo visto foi uma travessia &quot;sui generis&quot; em vários sentidos. Banheiros caindo, perrengues, pitis, etc… Mas o que seria de nossas trilhas sem esses fatos pitorescos? São o tempero da coisa!<br />Feliz em ver seus relatos e saber que seus sonhos estão se realizando.<br />Abraço!

  2. Bacana demais seu relato, esta trilha ja esta em minha lista . Parabéns um lindo relato. Vcs poderiam ter ido ao farol da joatinga, passaram bem próximo.

  3. Parabéns pela travessia, o sul do estado é fantástico!!!!!!

  4. Parabéns pelo relato… Já coloquei na minha lista de travessias a fazer.

  5. Olá o Camping da Praia Grande da Cajaíba e da Praia do Cruzeiro tem cozinha?

    • Gisely Bohrer

      Em pouso de Cajaíba fiquei na casa de pescador, então tinha cozinha, mas no cruzeiro não tinha cozinha. Usamos sempre nossos fogareiros, acho mais fácil tb 🙂

  6. Lembra mais ou menos o tempo das trilhas do Pão de Açucar e e a que vai pra Praia Grande?

    • Gisely Bohrer

      Oi! A trilha do pão de açúcar é rápida, acho que 2 horas, mas até a Praia Grande é mais demorada, dependendo da sua velocidade pode demorar até umas 4 horas.

  7. olaaa
    to querendo fazer a travessia essa semana
    tem agua pelo caminho, natural ou compravel? de quanto em quanto tempo?
    alimentação de quantas em quantas horas se acha algo?
    ta sinalizado ou a orientação é tensa?

    • Gisely Bohrer

      Oi Dulphe, se você começar no Pouso de cajaíba a questão água e comida fica mais fácil. No Pouso tem água, PF e mercado. Depois muito perto tem a praia de Martim de Sá e Cairuçu. Difícil ficar sem água, mas sempre mantinha o cantil c 2L de água. Se começar no cruzeiro só vai achar 1 ponto de água antes de chegar ás praias, mas depois q sai da mata e começam as praias tb fica fácil a água. Toda praia vai ter um lugar p comprar algo, só se informar com os moradores 🙂
      Espero que goste da travessia.

  8. Ola, adorei o relato. Estou planejando fazer essa travessia em Dezembro. Porém só tenho 3 dias. Derrepente não farei a travessia do saco do Mamanguá e partirei direto para a Praia do Cruzeiro, pois o mirante do Pão de Açucar não pode ficar de fora .Onde vcs pegaram o barco para a praia do Cruzeiro? foi no Paraty Mirim? quanto custou? e qual o tempo de travessia? O que vc me sugere para completa-la nos 3 dias?

    • Gisely Bohrer

      Oi Haroldo, eu fiz a travessia e o Pão de Açúcar no mesmo dia, com 3 dias vc ainda fica suave 2 dias rsrsrs. A travessia leva umas 4 horas, se o grupo for lento umas 5 ou 6 horas talvez e começando às 07:00h da manhã até 12:00h vcs chegam no Curupira.
      A subida ao Pão de Açúcar leva 1:30h, se o grupo for devagar no máximo 2:30h. Caso queira ir direto para o Cruzeiro é só pegar o barco em Paraty Mirim.
      Boa trilha.

  9. Ola, outra duvida. O Onibus Laranjeiras – paraty passa em paraty Mirim? Ou tem que pegar outro Onibus?

    • Gisely Bohrer

      O ônibus para Paraty Mirim sai de Parati, na rodoviária.

      • Nós vamos de carro até Parati mirim, e queriamos pegar um Onibus de Laranjeiras até parati Mirim. O Onibus Laranjeiras-Parati, passa em paratim Mirim? Ou vou ter que ir primeiro em Paraty e depois pegar um onibus de volta para paratim Mirim?

        • Gisely Bohrer

          Laranjeiras – Parati não passa por lá, teria q pegar mais um busão em Parati.

          • Então derrepente é mas jogo deixarmos os carros em parati mesmo e no primeiro dia pegar o Onibus dde parati para parati Mirim. Sabe o primeiro horario de Parati para parati Mirim? sabe os primeiros horarios de barcos de Paratim Mirim para Cruzeiro? e o tempo de percurso de barco Paraty Mirim a cruzeiro?

            Obrigado pela atenção e respostas

          • Gisely Bohrer

            Os ônibus são meio que sem horário, mas a partir das 05:00 da madruga já tem. Os barcos são de pescadores, vai de sorte mesmo, mas sempre tem pescador por lá. Em lancha a travessia leva 20 min e de barco 1 hora e 10 min …

  10. Ola Gisely, fiz a seguinte Logistica. Veja o que acha:

    1º dia – Pego o Barco em paraty Mirim(coloquei a logistca começando as 7h, depende dos horarios dos barcos, quero pegar o primeiro barco) em direção a Cruzeiro, subo o pão de açucar no bate volta e sigo até Pouso do cajaiba .

    2º dia – Pernoite em Ponta Negra ( sempre começando as 7h . se der tempo vamos no bate volta na cachoeira do saco Bravo, caso não dê vamos no dia seguinte)

    3º dia – Se não conseugimos ir na cachoeira no dia anterior, vamos fazer o bate volta na cachoeira do saco bravo e depois armar acampamento e seguir para Laranjeiras.

    • Gisely Bohrer

      Viável… mas bem triste rsrsrs Vai deixar de conhecer Martin de Sá e Sumaca… Saco Bravo então é uma cachu linda. Vale voltar com tempo e aproveitar mais, mas sim é possível fazer dessa forma.

      • Mas pelo Tracklog e Logistica que estou fazendo, Martim de Sá faz parte do percurso, claro que não devo parar por lá . Sumaca que não. Mas, para fazer em 3 dias vou ter que cortar alguns pontos, e futuramente tentar fazer com mais tempo. Como o Saco do mamangua que parece lindo, mas vou ter que riscar esse percurso dessa logistica. Valeu mesmo pelas dicas e parabéns pelos relatos. Aloha e boas aventuras.

        • Mas a cachoeira do Saco Bravo fará parte do percurso. Fiz questão de colocar o Mirante do Pão de Açucar e a Cachoeira do Saco Bravo.

        • Gisely Bohrer

          Martin vc passará correndo, vai doer seu coração rsrssr se prepare pra voltar com tempo, sei que vai ficar com vontade.

          • Mudei a Logistica. Vou pular Cruzeiro e vou direto de Parati Mirim e pegar um barco para Pouso do Cajaiba(sabe o tempo de percurso de barco?) de lá vou direto para Martim de Sá e acampar lá no primeiro dia.
            Nesse dia serão somente 5Km. Sumaca fica dentro desse perímetro? Derrepente podemos colocar sumaca na logistica, não achei o tracklog desse local. Alguma outra sugestão para aproveitarmos esse percurso do primeiro dia?

            segundo dia vamos para Ponta Negra e faremos o Bate Volta na Cachoeira do Saco bravo.(total 16km incluindo o bate volta na cachoeira)

            Tercerio dia é partir para Laranjerias, derrepente vamos ver alguma coisa antes de partir, para aproveitar melhor esse terceiro dia, derrepente até voltar na cachoeira do saco bravo.

            O que achou dessa nova logistica? Num,a outra Ocasião com mais tempo farei o saco do mamangua , cruzeiro, pão de açucar….

          • Gisely Bohrer

            Essa logística é a verdadeira volta da Joatinga que começa no Pouso e termina em Laranjeiras. Anterior a isso é o Mamanguá, que vale super a pena, mas talvez fique melhor em outra ocasião. Quanto ao barco eu não tenho ideia de tempo e nem de valor já que comecei do mamanguá.
            A Sumaca não precisa de tracklog, tem uma entrada para a trilha que leva até ela dentro do camping do Sr Maneco e Martin de Sá, ele pode te botar na trilha ou algum funcionário dele.

            A sugestão para o primeiro dia é aproveitar a praia, só andar e correr não vale a pena na Joatinga.

            Espero que goste da travessia. 🙂

          • No seu tracklog não vi a trilha para a praia da Sumaca. Vcs possuem tracklog de lá? Poderia me passar as dicas para se chegar a essa praia?

  11. Oi gizely, otimo relato, parabens!
    Uma duvida: voce sabe quanto custa o barco de paraty mirim- martins? Ouvi falar que tem um que vai direto pra martins(sem pegar a trilha monstra kkkkk)

    • Gisely Bohrer

      Oi Paula, vc fala Martim de Sá? Se for tem sim, não sei o preço mas é bem carinho, pode botar mais de R$ 250,00 pq só os barcos maiores vão pra lá. Obrigada por acompanhar o blog e bons ventos 🙂

  12. Thais Nakamura dos Santos

    Olá Gisely, muito bacana o seu relato. Com certeza as dicas servirão para a travessia que farei agora no Carnaval. Só tenho uma dúvida em relação a comida… em alguma dessas praias há estrutura do tipo pequena mercearia? ou só há disponível os restaurantes com os PF’s? Geralmente cozinhamos então preciso me programar para saber certinho oq levar 😉

    • Gisely Bohrer

      Oi Thais, vc irá encontrar mercearia no Pouso de Cajaíba, depois na Ponta Negra e no Sono. Não são mercados, são mercearias pequenininhas mesmo. Bjs

  13. Oi Gisely,
    Quero conhecer Sumaca e ficar no Camping do Seu Maneco.
    Sabe quanto custaria um barco de Paraty até la? Ou se é melhor ir até Pouso de Cajaiba e seguir pela trilha até Sumaca?

    • Gisely Bohrer

      Não sei os valores dos barcos pq fui a pé. Super tranquilo do Pouso pro seu Maneco e de dentro do camping dele tem uma trilha p sumaca. Espero ter ajudado.

  14. Olá Gisely, adorei o relato e assim como vc tb sou Canela Verde de coração. Farei a Joatinga no fim deste mês de Janeiro, percebi que vcs acamparam em Cairuçu das pedras para depois seguir viajem ate Ponta Negra e mesmo assim passaram por dificuldades. Tenho a intenção de fazer o trajeto Martin de Sá a Ponta Negra direto, será que dá? Ou é muito pesado? Os Campings tem cozinha? Obrigada e parabéns pelo relato.

    • Gisely Bohrer

      Oi Paula, dá pra fazer sim. Por causa do calor vc poderá levar de 5 a 6 horas. Eu fui agora em dezembro novamente e voltei a parar no Cairuçu. Não tem como não parar, é a praia mais linda da Juatinga. Todas as praias tem quiosque que vendem comida, porém os unicos campings com cozinha são o da Praia grande e Pouso de Cajaiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome. & GeekyCube.