Capa » Aventuras » Cassino: A Maior praia do mundo – Trekking – 1.º dia
Cassino: A Maior praia do mundo – Trekking – 1.º dia

Cassino: A Maior praia do mundo – Trekking – 1.º dia

Eis o grande dia, 18 de outubro de 2014. Eu sentia um misto de emoção e medo, queria começar logo, estava muito ansiosa.

Nesse dia levantamos, tomamos café, arrumamos nossas mochilas, mas saímos um pouco tarde para quem tinha que fazer 30 km na areia.

Depois de dar uns cinco passos para fora do camping com a mochila nas costas eu só pensava uma coisa : “Ferrou! Se já estou torta depois de dar cinco passos, imagina andar com essa mochila por sete dias”.

A Praia do Cassino começa nos Molhes da Barra que ficava a 10 km do nosso local de acampamento e seria uma idiotice andar a pé até lá, pois ali onde estávamos era também rota da travessia, ou seja, iríamos andar 10 km para frente e voltar 10km. Decidimos então, chegar até os molhes de táxi, pois não havia ônibus que chegasse até lá.

No caminho para o ponto de táxi resolvemos entrar em uma farmácia e pesar nossas mochilas e todas as três estavam pesando 27 Kg. Novamente pensei: “ferrou”. Praticamente metade do peso eram água e comida e o restante eram equipamentos. Não levamos nada que pudéssemos nos dar ao luxo de tirar da mochila, a coisa toda era muito simples, passaríamos sete dias (se tudo fosse perfeito) no meio do nada e sem ter a quem recorrer caso algo nos faltasse, ou seja, tudo que levamos era essencial.

Chegando aos molhes ainda gastamos um tempo tirando fotos e fazendo vídeos. Não tínhamos nos dado conta da situação. Precisávamos andar 30 km e estávamos ali como se tivéssemos todo o tempo do mundo.

Por fim às 11:15h começamos nossa caminhada rumo ao Chuí, com toda nossa força e empolgação e após 4 km, e já com algumas dores, nos olhamos e rimos da nossa situação. Naquele momento entendemos o que seria a travessia e se em algum momento eu achei que seria difícil, ali eu entendi que seria extremo.

Mais um pouco de caminhada e nos deparamos com um rapaz vestido esportivamente e com um mochilão vindo em nossa direção. Ele parou para nos cumprimentar e a conversa seguiu mais ou menos dessa forma:

-Vocês vão fazer a travessia?
-Sim e você?
-Estou voltando, eu tentei fazer a travessia sozinho, mas desisti depois de percorrer 40 km, não dá.

Foi animador. O cara tinha um corpo atlético e sequer estava torto com o peso da mochila, como eu estava. Pensei mais uma vez: “agora sim ferrou”.

Continuamos andando e por um bom pedaço de praia ainda víamos moradores e turistas e a paisagem não era tão bonita. E foi então que um grupo de pescadores que estavam na praia nos gritou:

– Oi! Onde vocês estão indo?
– Atravessar o Cassino.
– Melhor não tentarem isso hoje, tem tempestade chegando.
– Tudo bem, obrigada.

Ficaram nos olhando enquanto andávamos. Não queríamos adiar nossa saída e o tempo parecia bom. Tínhamos conferido a previsão e sabíamos que choveria no fim do dia, mas até lá já estaríamos acampados.
Ao completarmos 12 km resolvemos parar para almoçar. Eu estava um caco. A mochila me maltratava sem dó, e não era questão de ser ou não ser uma boa mochila, porque ela é, a questão eram meus 57 Kg aguentar os 27 Kg nas costas.

Depois de almoçar tentamos descansar um pouco, todos, inclusive a cachorrinha que estava nos seguindo desde uma vila que passamos no início da praia.

Depois de uns 30 minutos de descanso, retomamos nossa caminhada e agora estava ainda pior pois, depois do almoço veio a leseira e os músculos haviam esfriado.

Andamos e andamos e quando olhávamos para frente víamos sempre a mesma paisagem, uma praia sem fim.

E foi quando completamos 19 km de caminhada que o tempo começou a fechar, a coisa ficou realmente feia.
Corremos para as dunas e começamos a armar as barracas o mais rápido que podíamos e tentamos coloca-las de uma forma que não fôssemos o ponto mais alto da praia.
Assim que entramos nas barracas a chuva chegou e com ela os raios. Muitos trovões e de dentro da barraca eu via o clarão. Comecei então a contar os segundos entre os raios e os trovões… 20 segundos, ok, são 6,5 km … 10 segundos, ai ai ai são 3km … melhor parar de contar e orar a tudo e a todos !!!

Era um atrás do outro, raios e mais raios, chuva, vento, muito barulho e eu ali, calculando a distância dos raios e pedindo a Deus, Jah, Alá, Manuel e até ao Jaspion para me ajudar a sair viva dali.

Noite, madrugada e manhã, o temporal não deu trégua. Não jantei. Não dormi. Não descansei. Mas quem precisa descansar né?!

Finalizo por aqui o primeiro dia de trekking. Logo postarei o próximo!


Leia também:

Cassino, o início: clique aqui.
Primeiro dia de trekking: clique aqui.
Segundo dia de trekking: clique aqui.
Terceiro dia de trekking: clique aqui.
Quarto dia de trekking: clique aqui.
Quinto dia de Trekking: clique aqui.
Sexto dia de trekking: clique aqui.
Sétimo dia de trekking: clique aqui.
Oitavo dia de trekking: clique aqui.

Cassino

O time

É importante lembrar: Se você decidiu fazer uma viagem de aventura, principalmente para fora do país, a recomendação é que você faça um seguro viagem com cobertura para esportes outdoor. Clique aqui para saber mais.

Expedição Cassino – Teaser

  • NOTA: Se quiser pernoitar no Farol Abardão e no Farol do Chuí uma solicitação deverá ser enviada à Marinha:

    Telefone – 53 – 3233 6322 Sargento Bittencourt
    email: bittencourt@ssn-5.mar.mil.br

  • Dicas para o início do Trekking da Praia do Cassino

    • Levar protetor solar;
    • Já iniciar com 3 litros de água e torcer para ter água nos arroios;
    • Levar roupa de frio

    Mapa da Trip

    Trilha

    Nível: Extremo
    Data da trilha: 18/04/2015
    Total percorrido: 235 km

    Arquivos

    Tracklog no Wikiloc: Praia do Cassino

    Custos

    Ida

    • São Paulo x Porto Alegre R$ 178,00 – TAM
    • Porto Alegre x Rio Grande R$ 63,00 – Planalto Transportes
    • Rio Grande x Cassino – R$4,45- Circular – P09 Cassino – Noiva do Mar
    • Taxi: R$ 30,00

    Retorno

    • Chuí x Pelotas – R$ 47,35 – Viação Expresso Embaixador
    • Pelotas x Porto Alegre – R$ 46,75 – Viação Expresso Embaixador
    • Porto Alegre x São Paulo – R$ 178,00 – TAM

    Pernoite

    • Camping do Sindicato dos Rodoviários no Cassino – R$ 40,00 – (53) 3236-6013

    Sobre Gisely Bohrer

    Gisely Bohrer
    Mineira de nascimento, Vila-Velhense (canela-verde) de coração, analista de importação, estudante de Turismo, blogueira e viciada em esportes. Trekking, corrida e musculação ocupam boa parte do seu tempo livre. Começou no trekking através do Clube de Desbravadores e desde então é sua paixão. Além dos esportes, ama viajar e ler um bom livro. Vive tudo intensamente para esta vida ser suficiente.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

    *

    Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome. & GeekyCube.